Sobre Mim Entrevistas Artigos Produções Lifestyle

6 de maio de 2010

Expo Xangai 2010

Depois dos Jogos Olímpicos Xangai acolhe a maior exposição universal de sempre. No dia 1 de Maio abriram-se as portas de um recinto 10 vezes maior que o da Expo 98.


Os ensaios duraram uma semana e o número de visitantes chegou aos 3 milhões em seis dias. Mas foi só um teste. Com inauguração a 1 de Maio, a Expo Xangai 2010 vai entrar na história como a maior de sempre: Em área, número de visitantes e orçamento. A China voltou a não poupar esforços para impressionar.

"Melhor cidade, mais qualidade de vida" é a frase que os chineses querem que se retenha. O lema da Expo 2010 resume a ideia de espaços urbanos mais personalizados e de um desenvolvimento sustentável com melhores acessos, maior eficácia energética e menos poluição nas cidades.

Uma das dez maiores cidades do mundo. Xangai tem 18 milhões de habitantes. Até Outubro, nos seis meses que vai durar, a Expo deverá receber 70 milhões de visitantes. E um exército de mais de 7 mil voluntários já está espalhado pela cidade, com a missão de facilitar a mobilidade dos turistas que vão aqui chegar nos próximos meses. A orientação é fundamental numa metrópole onde a estação central de metro tem 20 saídas diferentes.

COROA ORIENTAL

São mais de cinco quilómetros quadrados divididos entre continentes e organizações mundiais. No centro, a China. O maior e mais alto de toda a Expo, o pavilhão chinês, designado Coroa Oriental, será visível de qualquer ponto do parque.

Estrutura inspirada na arquitectura imperial é uma das obras permanentes da Expo 2010. De cor vermelha, a mesma da Cidade Proibida, em Pequim, o pavilhão chinês promete ser o mais concorrido do evento.

Em dias como os da abertura e do encerramento e nos feriados nacionais, a Expo receberá até 800 mil pessoas. "Vai ser preciso saber esperar", dizem os habitantes locais, em jeito de aviso. As filas serão muitas e para longas horas.


Além do pavilhão da China, outros como o do Reino Unido também prometem encantar os visitantes. Chamado Catedral das Sementes, o pavilhão inglês junta mais de 60 mil sementes diferentes colocadas cada uma na ponta de uma vara de acrílico. O projecto, concebido pelo designer Thomas Heatherwick, atraiu milhares de visitantes que quiseram, na semana de testes, tirar uma foto ao pé das sementes.

Países como Timor-Leste e a Coreia do Norte estreiam-se na Expo Xangai. Registar-se-á iambém um recorde de presenças africanas. Xangai junta 43 estados de África na sua Expo, uma proeza só possível pela ajuda que a organização deu aos países menos desenvolvidos para organizarem a sua representação.

REI DA CORTIÇA

 
Inspirado na ideia de mais qualidade de vida urbana, o pavilhão português apresenta-se sob o lema "Portugal, uma praça para o mundo". O projecto do arquitecto Carlos Couto destaca-se pela cobertura exterior totalmente revestida a cortiça nos seus 2 mil metros quadrados. A curiosidade dos chineses vai levar muitos a tocar nas paredes para perceber que material é aquele. Portugal espera receber, no seu pavilhão, 3 milhões de pessoas, ao ritmo de 400 mil por dia. O primeiro visitante, logo a 1 de Maio, foi o presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso.

Além de contar o principal da História do País e das suas relações com a China, o edifício  dispõe de  um centro de negócios para divulgar a marca Portugal.

Com 190 países representados, a Expo Xangai escolheu um dia para cada participante. No dia oficial de Portugal, a 6 de Junho, a cantora Marisa deverá vir até à praça Europa da Expo Xangai para encantar o público chinês.


As estatísticas da Expo Xangai
184 dias de Expo (até 31 de Outubro)
800 mil visitantes esperados no dia de abertura
70 milhões de visitantes esperados nos próximos seis meses (apenas 1/5 deverão ser estrangeiros)
44 mil milhões de euros investidos
525 hectares de área ocupada
190 países participantes
160 renminbi (cerca de 17 euros) por um bilhete para um dia normal
20 mil espectáculos previstos
13 portas de entrada no recinto
55 mil táxis a circular na cidade
420 km de linhas de metropolitano
13 mil jornalistas registados para cobrir o evento

É caso para dizer que Xangai está definitivamente na moda e na vanguarda da cultura!

Sem comentários:

Publicar um comentário