Sobre Mim Entrevistas Artigos Produções Lifestyle

11 de novembro de 2010

O lado humano das alterações climáticas


No dia 16 de Novembro  terá lugar na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, o IX Congresso Internacional do O Conselho Português para os Refugiados (CPR) designado ao tema "Refugiados e deslocações ambientais: O lado humano das alterações climáticas"

O Conselho Português para os Refugiados, em estreita colaboração com o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), realiza, desde 1994, de dois em dois anos, Congressos Internacionais, na Fundação Calouste Gulbenkian, dedicados ao tema dos Direitos Humanos, dos Refugiados e Deslocados Internos.

O IX Congresso Internacional do CPR debruçar-se-à sobre a dimensão humana das alterações climáticas. Até 2050, cerca de 200 milhões de pessoas poderão abandonar as suas cidades devido a alterações climáticas, de acordo com dados recentes da ONU. O ACNUR estima que, na actualidade, existam 25 milhões de refugiados ambientais. O processo das alterações climáticas e as múltiplas catástrofes naturais, como as secas ou as cheias e, a longo prazo, a desertificação ou a subida do nível médio da água do mar, forçam milhões a deslocarem-se.

As consequências das alterações climáticas, reais e projectadas, têm um impacto, muitas vezes trágico, nas narrativas dos seres humanos. Esse impacto torna-se particularmente visível aquando dos movimentos de deslocação forçada que envolvem milhares ou milhões de indivíduos.

Esta questão é, sem dúvida, um dos principais desafios que se colocam ao mundo de hoje.


Sem comentários:

Publicar um comentário